segunda-feira, 5 de julho de 2021

Shortcutz Porto #264

 Shortcutz Porto #264

14.07.2021- 20h30 

Duração sessão: 50'

Classificação etária: M/14 

Sala de Espetáculos  





PROGRAMA

Amor Quântico

Realizador: Paulo Furtado

2019, Fic, 11', Portugal 


Sinopse: “Amor Quântico” é um filme com três narrativas paralelas, envolvendo a mesma mulher, sem que exista uma ordem cronológica clara.




Extratos

Realizadora: Sinai Sganzerla

2019, Doc, 8', Brasil


Sinopse: Curta-metragem com imagens entre o período de 1970 até 1972 nas cidades do Rio de Janeiro, Salvador, Londres, Marrakech, Rabat e a região do deserto do Saara. As imagens foram filmadas por Helena Ignez e Rogério Sganzerla no exílio, nos anos de chumbo. O filme é também sobre a esperança. Algo afável é possível mesmo quando há indicações do contrário.





REVERSO

Realizador: Victor Santos 

2019, Fic, 8'30'', Portugal 

 

Sinopse: 26 de Abril de 1974, a primeira noite após o derrube do regime fascista português. Um homem chega a um pequeno quarto de uma pensão carregando apenas uma mala. Desconfiado mas cansado acaba por adormecer para acordar subitamente com o telefone a tocar insistentemente. No outro lado da linha uma voz troça com ele repetindo tudo o que ele diz.






OLHOS D´ÁGUA, SUZANA QUEIROGA

2013, Exp, 7', Brasil

A exposição Olhos d’água da qual este vídeo fez parte foi uma grande homenagem ao meu pai, jovem português de 27 anos que morreu num acidente aéreo no Rio de Janeiro, Brasil, quando minha mãe estava grávida de mim. Uma viagem inesperadamente interrompida. O vídeo traz uma simbologia complexa, o despedaçamento e a dissolução do corpo no mar, o fado, a espera por alguém que jamais virá, o azul da Baía de Guanabara onde o avião mergulhou, e o azul que marcou a vida do meu pai, que utilizava a cor em desenhos e capas de diários.




quinta-feira, 3 de junho de 2021

Shortcutz Porto #263

 





Shortcutz Porto #263 


Nesta sessão do Shortcutz Porto que será moderada pelo artista Sama, teremos vários convidados com filmes muito diversificados e temas contundentes. O realizador brasileiro, Alexandre Siqueira estará no Shortcutz a apresentar o seu filme de animação, “Purple Boy”, uma curta com produção portuguesa que aborda a questão da identidade de género a partir da história de Óscar, um menino transgénero. “Purple Boy” já venceu mais de 20 festivais de cinema. Sara N. Santos regressa ao Shortcutz, desta vez para apresentar o seu mais recente filme,"Just Like The Films", um filme que mistura as memórias do seu avô com imagens de filmes noir, uma amálgama que resulta numa carta de amor ao seu avô e ao cinema. Alexander Schaef, jovem artista californiano também estará presente com o vídeo performance, “MOMMY’s TEN-INCH BALL-SACK SS21”, um trabalho que não nos deixará indiferentes à abordagem do artista sobre o papel do núcleo familiar na sociedade de consumo e em particular, sua relação com a própria mãe.

O Shortcutz Porto tem a curadoria de Luísa Sequeira e é realizado em parceria com a Saco Azul e os Maus Hábitos.


[EN]

This Shortcutz Porto session will be moderated by the artist Sama and we will have several guests with very diverse films and strong themes. Brazilian director Alexandre Siqueira will be at Shortcutz to present his animated film, “Purple Boy”, a short film with Portuguese production that addresses the issue of gender identity based on the story of Oscar, a transgender boy. “Purple Boy”  won over 20 film festivals. Sara N Santos returns to Shortcutz, this time to present her latest film, "Just Like The Films", a film that mixes her grandfather's memories with film noir images, an amalgamation that results in a love letter to her grandfather and to the cinema. Alexander Schaef, a young Californian artist will also be present with the performance video, “MOMMY's TEN-INCH BALL-SACK SS21”, a work that will not leave us indifferent to the artist's approach to the role of the family nucleus in consumer society and in particular, his relationship with his own mother.

Shortcutz Porto is curated by Luísa Sequeira and is held in partnership with Saco Azul and Maus Hábitos.




Shortcutz Porto #263

16.06.2021- 20h30 

Duração sessão: 40'

Classificação etária: M/18 

Sala de Espetáculos   

 

PURPLEBOY

Alexandre  Siqueira

Portugal, França e Bélgica/ Animação / 2019 / Duração 13'53''

 

Sinopse 

Oscar é uma criança que germe na horta dos seus pais. Ninguém sabe o seu sexo biológico, mas ele reivindica o género masculino. Um dia, Oscar vive uma extraordinária mas dolorosa aventura num mundo autoritário e opressivo. Conseguirá ele ter o reconhecimento de identidade que tanto deseja?

[EN]

Oscar is a child who sprouts in his parents garden. Nobody knows his biological sex but he claims the masculine gender. One day Oscar lives an extraordinary but painful adventure in an authoritarian and oppressive world.




JUST LIKE THE FILMS

Portugal / Ficção / 2020 / duração 12´

Sara S Santos 


Sinopse 

Em Just  Like  the  Films,  Sara  N.  Santos  procura  evocar  a  memória esquiva do seu falecido avô. A partir de fragmentos de clássicos filmes noir   tece-se   uma   íntima   história   de   detetive   com   um   som cuidadosamente  reeditado.  O  resultado

final  é  um  ato  monocromático de  devoção  cinematográfica.   

Jonathan  Ali  (Alchemy  Film  and Moving Image Festival)

[EN]

Just  Like  the  Films Sara  N.  Santos

seeks  to  conjure  the  elusive memory of her deceased grandfather, piecing an intimate detective story out  of  clips  from  classic  noir films,  their  sound  attentively  re-edited,  the

end  result  a  monochrome  act  of love and  cinematic  devotion”.  

Jonathan Ali (Alchemy Film and Moving Image Festival)





MOMMY’s TEN-INCH BALL-SACK SS21 de  Alexander Schaef

Portugal / Video performance / 15'

M/18

 

Sinopse 

O TEN-INCH BALL-SACK SS21 da mamãe, é um desfile de alta costura de vanguarda da mente de Alexander Schaef; é uma paranóia severa e violenta - algo quase uma serpente, quase sua pele morta. Cheio de referências diretas e íntimas à automutilação, ciclos [familiares] de doença e trauma, uma animosidade e inveja em relação às artes e ao diálogo intelectual inteiramente, uma vaga, mas esmagadora, culpa / vergonha relacionada à identidade e os mecanismos autodestrutivos que instalamos para lidar com essas emoções extremas, a 'MOMMY Collection' funciona como um instrumento que dá sinfonia à agonia. Nós sentimos a doença se infiltrando através da luz [mais leve], vimos o terror gotejar nos rostos dos entes queridos, nos sentimos feios, miseráveis ​​e estúpidos [e, em geral, sem valor!]! A essência de 'mamãe', por sua vez, ridiculariza essa inutilidade, a inutilidade que consome a sociedade, mas é mantida oculta devido a entendimentos convencionais e irracionais de status e propósito divino, de uma forma validante, mas decrescente, ao ponto surpreendentemente alcançável da obscenidade & paródia. Ao perverter a própria destruição e desviar a "experiência humana" de algo que une todas as pessoas através do sofrimento coletivo para algo que é completamente ridículo (e, portanto, não merece atenção alguma), o TEN-INCH BALL-SACK SS21 da mamãe esmaga feito pelo homem espectros de sucesso e realização, substituindo-os por um vazio complexo, embora reconfortante, metaforicamente carregado, mas absolutamente absurdo, vasto, vasto. Este desfile serve tanto como um pedido de ajuda quanto como uma crítica ao público; OLHE O QUE VOCÊ ME FEZ! …

 

[EN]

MOMMY’s TEN-INCH BALL-SACK SS21 is an avant-guarde haute-couture fashion show from the mind of Alexander Schaef; it is a severe and violent paranoia -- something almost a serpent, almost its dead skin. Suffused with blunt and intimate references to self-harm, [familial] cycles of of illness & trauma, an animosity and envy towards the arts and intellectual dialogue entirely, a vague yet overwhelming identity-related guilt/shame, and the self-destructive mechanisms we install to cope with such extreme emotions, the ‘MOMMY Collection’ serves as an instrument that gives symphony to agony. We’ve felt the illness seep through the [lightest] light, seen the terror drip down faces of loved ones, felt ugly and miserable and stupid [and overall worthless!]! The essence of ‘Mommy,’ in turn, ridicules this worthlessness, the worthlessness that consumes society but is kept hidden due to conventional and irrational understandings of status and divine purpose, in a validating yet diminishing way, to the surprisingly attainable point of obscenity & parody. By perverting destruction itself, and flipping the “human experience” from something that unites all people through collective suffering to something that is completely ridiculous (and therefore deserving of no attention at all), MOMMY’s TEN-INCH BALL-SACK SS21 smashes man-made spectrums of success and fulfilment, replacing them with a complex yet comforting, metaphorically-charged yet absolutely absurd, vast, vast emptiness. This runway show serves as both a cry for help and a criticism of the audience; LOOK AT WHAT YOU MADE ME DO!..





domingo, 9 de maio de 2021

Shortcutz Porto # 262

 Shortcutz Porto & Femme Sessions & Super 9 Mobile

Dia 26 de Maio às 20h30 

Local: Maus Hábitos 


Esta sessão de cinema resulta de uma parceria entre o Shortcutz Porto e as Femme Sessions.
Dando continuidade à exibição dos filmes do Super 9 Mobile, exibidos durante o confinamento deste ano nas plataformas dos Maus Hábitos e da Saco Azul, nesta sessão especial além da exibição dos vencedores da 7ª edição do Super 9 Mobile Film Fest, também vamos convidar a Lia Mendes da UMAR ( União de Mulheres Alternativa e Resposta) para apresentar o vídeo realizado pela Ana Moreira relativo à campanha Stand By Her.


Sobre o Super 9 Mobile
O Super 9 Mobile Film Fest é um festival de cinema internacional, sediado em Portugal, e dedicado aos trabalhos filmados e animados com smartphones ou tablets. O Super 9 Mobile é o primeiro festival português exclusivamente dedicado ao formato mobile, um festival internacional cuja competição decorre no site do festival: www.super9mobile.com
facebook.com/super9mobile

Sobre a Campanha Stand By Her da UMAR


Acontece todos os dias, em todo lado, a toda hora e a todas nós.”

Stand by Her convida o/a espectador/a a acompanhar Maria num percurso marcado por violências, em que deparamos com a inação das pessoas que testemunham estes comportamentos, os/as bystanders. Afinal, como é que podemos tornar-nos agentes ativos/as no combate à violência sexual? É este o mote.

A campanha Stand by Her resulta da parceria de dois projetos da União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR) - “VIVA” e “Não é Não!”. 

A designer Marta Calejo criou os cartazes da campanha; Ana Moreira realizou o vídeo, com produção da Golpe Filmes.


Se podes olhar, vê. Se podes ver, age!


O estudo mais recente da Agência dos Direitos Fundamentais da União Europeia (FRA), com entrevistas realizadas a 42.000 mulheres dos 27 Estados-Membros, revela que o assédio sexual é a forma mais prevalente de violência contra mulheres e meninas.
https://www.facebook.com/standbyher.umar

Programação do Shortcutz Porto: Luísa Sequeira 
Ver menos

quinta-feira, 15 de abril de 2021

SHORTCUTZ PORTO # 261

SHORTCUTZ PORTO # 261

21 de abril às 20h30
Local: Maus Hábitos


O Shortcutz Porto volta à casa nesta parceria com a Saco Azul Associação Cultural e o Maus Hábitos - Espaço de Intervenção Cultural e traz alguns convidados para esta que é a primeira sessão de desconfinamento. O realizador Filipe Martins irá apresentar a sua curta-metragem “Casa de Vidro”, filme que recebeu no Festival de Cinema de Roterdão o prémio Voices Short e integrou a competição internacional do "Festival du Court Métrage de Clermont-Ferrand", em França. "Casa de Vidro" foi produzido pelo Balleteatro, um filme que mistura os géneros documentário e ficção para apresentar Carlos, um homem sem-abrigo que vive na cidade do Porto.
"Como Gado" trata-se de um filme experimental da jovem realizadora Matilde Calado, escrito e protagonizado pela atriz Mia Tomé. Esta curta alude ao comportamento de Alfred Hitchcock com as suas atrizes e aborda um período na indústria cinematográfica em que muitas atrizes foram vítimas de um comportamento sexista.
"From Maria" da realizadora Ana Moreira e produzido pela Golpe Filmes, é um filme poderoso que num minuto retrata a necessidade do empoderamento feminino e a luta pela igualdade de género. É uma das curtas que está em competição no festival Super 9 Mobile Film Fest e que recentemente foi distinguida com o prémio Extra Court na 16ª edição do Mobile Film Festival. A realizadora também estará presente nesta sessão.

Programação Shortcutz Porto: Luísa Sequeira

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2021

Shortcutz Porto e o Dia mais curto

Shortcutz Porto e Super 9 Mobile Film Fest na comemoração do Dia mais Curto no Mira Forum 

Dezembro 2020 

Programação com filmes mobile do Super 9 Mobile Film Fest e do Shortcutz Porto com a presença de alguns realizadores;  Ana Moreira, Rúben Sereivas e a produtora Ana Almeida.


.............

DE MARIA da realizadora Ana Moreira 

“De Maria”, foi um dos filmes vencedores da edição do  Mobile Film Fest dedicado ao empoderamento feminino  e está em competição na 7ª edição do Super 9 Mobile Film Fest. Esta curta-metragem  é uma carta dos jovens às gerações futuras sobre o papel da mulher na sociedade e como todos são responsáveis pelo seu empoderamento. Qual será o futuro da Maria?

.......

THE WORD do realizador Jefferson Donald

The Word,  foi o filme vencedor da categoria experimental da 6ª edição do  festival Super 9 Mobile Film Fest, um filme  experimental que usa Spoken Word e imagens icônicas para explorar a experiência negra na América, especialmente no que se refere ao sistema de justiça.

 ......

O INTRUSO do realizador Hugo Pinto

“ O Intruso”,  foi um dos filmes que esteve na 6ª edição do Super 9 Mobile Film Fest.  Sinopse: A única função do espelho é não refletir uma imagem; Se a alma se torna espelho perfeito, ela participa da imagem e por meio dessa participação sofre uma transformação. Há, portanto, uma configuração entre o sujeito contemplado e o espelho contemplativo. (Chevalier, 2001, p. 396).

 ......

DIREITO À MEMÓRIA de Rúben Sevivas

 Durante os 48 anos de ditadura, em Portugal, muitos foram os que se opuseram ao regime. Contudo, nenhum teve a ousadia ou o impacto do General Humberto Delgado, candidato às presidenciais em 1958 pela oposição. No dia 22 de maio do mesmo ano, o General proferiu o célebre discurso com que encerrou o comício de chaves, no Cine-Parque. A PIDE destruiu os registos de voz do General, depois da campanha eleitoral, exceto este. A gravação sobreviveu por ter sido enterrada num quintal durante vários anos.O discurso resistiu ao tempo, o Cine-Parque não…


 .......

ABEBA de  Zelalem Woldemariam

"ABEBA é um filme sobre expectativas, desilusões e sobre ver as coisas como elas realmente são. Uma bebé é abandonada pela mãe num parque de estacionamento em Addis Ababa.

A menina cresce com o sonho de voltar para junto da sua família. Aos 18 anos decide procurá-la e atravessa a Etiópia para a reencontrar. Mas o que encontra não é exatamente o que procurava. "

quarta-feira, 2 de dezembro de 2020

Shortcutz Porto #259

 Programação de curtas-metragens 

Shortcutz Porto, dia 16 de Dezembro nos Maus Hábitos, Porto 

21 horas

Entrada gratuita


O MAR JÁ NÃO PARÁ AQUI de Pedro Augusto Almeida 

Pt/ ficção,8´

Sinopse: Caldeira, estuário do Sado. Um catador de moluscos e seu amigo passam a manhã recolhendo a fartura da maré. O dia está cheio de surpresas.





DIREITO À MEMÓRIA de  Rúben Sevivas

Pt/ Documentário, 9´

Sinopse: Durante os 48 anos de ditadura, em Portugal, muitos foram os que se opuseram ao regime. Contudo, nenhum teve a ousadia ou o impacto do General Humberto Delgado, candidato às presidenciais em 1958 pela oposição. No dia 22 de maio do mesmo ano, o General proferiu o célebre discurso com que encerrou o comício de chaves, no Cine-Parque. A PIDE destruiu os registos de voz do General, depois da campanha eleitoral, exceto este. A gravação sobreviveu por ter sido enterrada num quintal durante vários anos.O discurso resistiu ao tempo, o Cine-Parque não…




SOFIA de Filipe Ruffato e Gonçalo Viana

Ficção/ 10´

“Num único e ousado plano-sequência Sofia é um filme onde vemos desdobrar medos, incompreensões, preconceitos, ânsias e desejos, sendo que todos esses sentimentos – e muitos outros, ainda – surgem e desaparecem nas entrelinhas do não-dito. Um belíssimo olhar sobre a nossa precária condição humana.”




Luísa Sequeira, programadora do Shortcutz Porto




quarta-feira, 4 de novembro de 2020

Shortcutz Porto #258

 


Programação Novembro

Shortcutz Porto 

17 de Novembro de 2020

21h00

Maus Hábitos/ Entrada gratuita







O MAR JÁ NÃO PARÁ AQUI de Pedro Augusto Almeida 

Pt/ ficção,8´

Sinopse 

Caldeira, estuário do Sado. Um catador de moluscos e seu amigo passam a manhã recolhendo a fartura da maré. O dia está cheio de surpresas.


ABEBA de  Zelalem Woldemariam

Suécia, Etiópia e Portugal, Ficção/ 12´

Sinopse:

"ABEBA é um filme sobre expectativas, desilusões e sobre ver as coisas como elas realmente são. Uma bebé é abandonada pela mãe num parque de estacionamento em Addis Ababa.

A menina cresce com o sonho de voltar para junto da sua família. Aos 18 anos decide procurá-la e atravessa a Etiópia para a reencontrar. Mas o que encontra não é exactamente o que procurava. "


Projeto convidado:

Campanhã é a minha casa

Em 1896 começou a história do cinema em Portugal com Aurélio Paz dos Reis, pioneiro a filmar no pais, logo no ano a seguir à invenção do Cinema pelos irmãos Lumiére. Assim, o cinema português arrancou no Porto. O primeiro quadro (assim se chamavam, na altura, aos pequenos filmes) foi a saída das operárias da Fábrica Confiança, na rua Santa Catarina. Um outro dos quadros filmado por Paz dos Reis foi a Feira do Gado na Corujeira, em Campanhã. Desse filme resta menos do que um segundo, um ápice.

Campanhã não é um território-cenário na história do Cinema Português, apesar de o Porto ser uma cidade estrela de cinema. Campanhã nunca teve uma sala de cinema, e o Porto chegou a ter 50 salas em 100 anos. Esta zona, a mais oriental da cidade, terra de quintas, de residência para os novos trabalhadores que chegavam à cidade, não despertou interesse no cinema desde o Paz dos Reis em 1896, nem para ser filmada, nem como zona de usufruto da 7ª arte.

Como seria um filme em Campanhã?

 

A partir de coleções de filmes super 8 de famílias da freguesia da freguesia de Campanhã, foram desafiados 3 realizadores para construírem 3 curtas-metragens - Cláudia Varejão, Edgar Pêra e Sónia Amen.

O OFÍCIO DA ILUSÃO  de Cláudia Varejão 

2020 / 6’ / 4:3

O ofício da ilusão esculpe-se com imagens de um arquivo de família das décadas de 70 e 80 e de pequenos excertos sonoros de filmes. Madame Bovary é a heroína de Flaubert e abre as hostes deste exercício narrativo. A partir do diálogo de Ema Paiva com o seu amigo e confidente Pedro Lumiares no filme Vale Abraão de Manoel de Oliveira, entendemos a identidade de género como uma caracterização estanque de valores sociais. Ema, que aqui representa a Mulher num sentido mais lato, herda uma vida tradicional numa sociedade patriarcal. Neste semblante de opressão, Ema interroga a sua condição e a sociedade em que se insere. Graças ao bovarismo integrante em cada mulher, a força da desobidiência queimará o caminho que outrora fora idealizado para si. 

FITAS CIRÚRGYKAS de Edgar Pêra

2020, 10’ 

A partir dos arquivos de imagens de Domingos Oliveira Santos – artista multifacetado e cirurgião. 

MENINA ANALÓGICA de Sónia Amen

PT, ficção, 2020, 11'

De todas as viagem que podemos fazer na vida, a maior e mais importante é aquela que nos leva de volta a nós mesmos. A viagem constante, eterna, é tal que nos leva bem dentro de nós, num jogo de memória, onde nos reencontramos, nos descobrimos, e olhamos de novo aqueles que de forma mais nítida, com sangue e amor, deixaram a sua inscrição no tempo.

Sim, a maior viagem é sempre dentro de nós. Neste filme, neste auto-retrato, neste jogo de memória, que nos agita entre 1969, em angola, quando ainda nem tinha nascido, e o presente, passando pela minha meninice em 1980, descubro de novo o essencial, e quase sem saber como, dou comigo a voltar ao princípio, ao eterno recomeço, que é uma indefinida tarde de julho, princípio de tudo, criação do mundo, inscrito no meu, no nosso coração.